sábado, 15 de março de 2008

Kafta com milho

Me parece de bom tom alertar a quem vai ler as palavras a seguir de que trata-se de um post de cunho sexual e de gosto questionável, de modo que leia por sua própria conta e risco.

Encontrei com alguns amigos recentemente, amigos os quais não via faz tempo e acabei ouvindo uma muito boa de um deles.

É que esse amigo tem por característica o fato de nunca namorar nenhuma garota em específico, sai com uma, sai com outra e assim vai passando a vida. Então, como não é de se estranhar, ele se depara com toda a sorte de mulheres, invariavelmente (na verdade até que com bastante freqüência) a garota tem algum tipo de desvio de sanidade ou uma estranheza de pesonalidade acentuada demais.

Mesmo assim, as coisas são meio previsíveis, diz ele, uma conversa idiota sobre coisas que povoam o imaginário delas (que diga-se de passagem não é lá assim tão povoado), o coito, sem muitas surpresas também e prossegue com a vida.

Até certa vez que ele saiu com uma garota oriunda do nordeste, portadora de uma bunda digna de uma pelada de avenida a desfilar no carnaval, que tinha por característica apreciar o sexo anal. Tinha a bunda e queria que usassem tudo. "Parece bom, vamos nessa!" pensou meu amigo.

Passado o roteirinho previsível da ida ao bar pré coito, se deslocaram para um local adequado e deu-se início a uma boa e velha sacanagem. Como era de se esperar, entre gemidos e a emissão de um palavreado sexual recheado de um repertório verbal de uma pessoa do nordeste, ela pede para levar no cu.

Atendeu de prontidão a solicitação da moça, e serviu-lhe a trosoba com vontade autêntica de vasculhar o duodeno da nortista.

Passado um tempo, teve uma surpresa não muito agradável e não se tratava somente do linguajar pouco elaborado da moça nem do malcheiro, mas sim de uma pequena ardência no jonjolo enquanto pilava o pandeiro.

Foi então que ele sacou o espeto, e, com as palavras dele, viu que o pau estava parecendo um kibe, coberto do material fecal da garota, só que não era só isso, constatou também que a camisinha estava estourada e o motivo de ela ter se rompido foi a presença de um sucrilhos inteirinho, o mesmo que estava a lhe ferir o pau!

O cara cortou o membro por conta de um sucrilhos sobrevivente que pegava carona no trem bosta da cagada de amanhã!

rá rá rá!


Fim de papo.

3 comentários:

FIXtheMAD disse...

Hahaha Priceless

Da próxima vez contrate um:

Escatomante, um divinador intestinal.

OZ disse...

hahaha...
nada como um belo buraco sujo e apertado...muito bom haha

Carol disse...

cesinha
vc é mto engraçado.. adoro os seus post!